sábado, 28 de março de 2009

Porra pá!!!









UMA VERGONHA!!! VOCÊS SÃO UMA VERGONHA!!! BRONCOS!!! DIGAM ADEUS À AFRICA DO SUL!

Portugal paraíso judicial....


O homem já deu barraca na Universidade Independente, na Covilhã e na Guarda, agora desde 2005 que dá barraca com o Freeport suficiente para que eu ou qualquer pessoa normal fosse logo preso... O homem continua a berrar por inocência... Ira, será que o gajo tem que dar um tiro nas ventas de algém em directo para que se inicie uma investigação a sério, para que ele seja demitido e caso se prove que se corrupto, para que seja preso por largos anos?!?!

Idiotas!...


Porra então o Benfica vai de modo gratuito ao Estádio do Bessa fazer um jogo para ajudar o Boavista a sair do buraco em que se enfiou e a claque Pantera Negra lança o cantico SLB - Filhos da Puta - SLB?!?!?! Irra mas eles mordem na mãos que lhes dá que comer?!?! Serão ignorantes ou simplesmente estúpidos?!?! Pode ser que o Boavista pare no distrital para perceberem qual o lugar deles....

quarta-feira, 25 de março de 2009

Para a azia...


Não consegui resistir...

Olivença é Portuguesa!


Daniel Hannan, político, escritor e jornalista inglês, com vasta obra publicada sobre política europeia, debruçou-se agora, com saber e perspicácia, sobre a Questão de Olivença em artigo no Daily Telegraph, cuja tradução para português se transcreve.


E se tivesse sido ao contrário? E se a Espanha tivesse tomado um pedaço de território de alguém, forçado a nação derrotada a cedê-lo num tratado subsequente, e o mantivesse ligado a si? Comportar-se-ia Madrid como quer que a Grã-Bretanha se comporte em relação a Gibraltar? Ni pensarlo!
Como é que eu posso estar tão certo disso? Exactamente porque existe um caso assim. Em 1801, a França e a Espanha, então aliadas, exigiram que Portugal abandonasse a sua amizade tradicional com a Inglaterra e fechasse os seus portos aos navios britânicos. Os portugueses recusaram firmemente, na sequência do que Bonaparte e os seus confederados espanhóis marcharam sobre o pequeno reino. Portugal foi vencido, e, pelo Tratado de Badajoz,obrigado a abandonar a cidade de Olivença, na margem esquerda do Guadiana.

Quando Bonaparte foi finalmente vencido, as Potências europeias reuniram-se no Congresso de Viena de Áustria para estabelecer um mapa lógico das fronteiras europeias. O Tratado daí saído exigiu um regresso à fronteira hispano-portuguesa (ou, se se preferir, Luso-espanhola) anterior a 1801. A Espanha, após alguma hesitação, finalmente assinou o mesmo em 1817. Mas nada fez para devolver Olivença. Pelo contrário, trabalhou arduamente para extirpar a cultura portuguesa na região, primeiro proibindo o ensino do Português, depois banindo abertamente o uso da língua.

Portugal nunca deixou de reclamar Olivença, apesar de não se ter movimentado para forçar esse resultado (ameaçou hipoteticamente com a ideia de ocupar a cidade durante a Guerra Civil de Espanha, mas finalmente recuou). Embora os mapas portugueses continuem a mostrar uma fronteira por marcar em Olivença, a disputa não tem sido colocada na ordem do dia no contexto das excelentes relações entre Lisboa e Madrid.

Agora vamos analisar os paralelismos com Gibraltar. Gibraltar foi cedida à Grã-Bretanha pelo Tratado de Utrecht (1713), tal como Olivença foi cedida à Espanha pelo Tratado de Badajoz (1801). Em ambos os casos, o país derrotado pode reclamar com razões que assinou debaixo de coacção, mas é isto que acontece sempre em acordos de paz.

A Espanha protesta que algumas das disposições do Tratado de Utrecht foram violadas; que a Grã-Bretanha expandiu a fronteira para além do que fora estipulado primitivamente; que implementou uma legislação de auto-determinação local em Gibraltar que abertamente é incompatível com a jurisdição britânica especificada pelo Tratado; e (ainda que este aspecto seja raramente citado) que fracassou por não conseguir evitar a instalação de Judeus e Muçulmanos no Rochedo. Com quanta muito mais força pode Portugal argumentar que o Tratado de Badajoz foi derrogado. Foi anulado em 1807 quando, em violação do que nele se estipulava, as tropas francesas e espanholas marcharam por Portugal adentro na Guerra Peninsular. Alguns anos mais tarde, foi ultrapassado pelo Tratado de Viena.

Certamente, a Espanha pode razoavelmente objectar que, apesar dos pequenos detalhes legais, a população de Olivença é leal à Coroa Espanhola. Ainda que o problema nunca tenha passado pelo teste de um referendo, parece com certeza que a maioria dos residentes se sente feliz como está. A língua portuguesa quase morreu excepto entre os mais velhos. A cidade (Olivenza em espanhol) é a sede de um dos mais importantes festivais tauromáquicos da época, atrai castas e matadores muito para além dos sonhos de qualquer pueblo de tamanho similar. A lei portuguesa significaria o fim da tourada de estilo espanhol e um regresso à obscuridade provinciana.Tenho a certeza que os meus leitores entendem aonde tudo isto vai levar. Este "blog" sempre fez da causa da auto-determinação a sua própria causa. A reclamação do direito a Olivença (e a Ceuta e Melilla), por parte de Espanha, assenta no argumento rudimentar de que as populações lá residentes querem ser espanholas. Mas o mesmo princípio certamente se aplica a Gibraltar, cujos habitantes, em 2002, votaram (17 900 votos contra 187!!!) no sentido de permanecer debaixo de soberania britânica.

A Grã-Bretanha, a propósito, tem todo o direito de estabelecer conexões entre os dois litígios. A única razão por que os portugueses perderam Olivença foi porque honraram os termos da sua aliança connosco. Eles são os nossos mais antigos e confiáveis aliados, tendo lutado ao nosso lado durante 700 anos - mais recentemente, com custos terríveis, quando entraram na Primeira Guerra Mundial por causa da nossa segurança. O nosso Tratado de aliança e amizade de 1810 explicitamente compromete a Grã-Bretamha no sentido de trabalhar para a devolução de Olivença a Portugal. A minha verdadeira intenção, todavia, é a de defender que estes problemas não devem prejudicar as boas relações entre os litigantes rivais.

Enquanto Portugal não mostra intenção de renunciar à sua reclamação formal em relação a Olivença, aceita que, enquanto as populações locais quiserem permanecer espanholas, não há forma de colocar o tema na ordem do dia. Não será muito de esperar que a Espanha tome um atitude semelhante vis-a-vis Gibraltar.

Uma vez que este texto certamente atrairá alguns comentários algo excêntricos de espanhóis, devo clarificar previamente, para que fique registado, que não é provável que estes encontrem facilmente um hispanófilo mais convicto de que eu. Eu gosto de tudo o que respeita ao vosso país: o seu povo, as suas festas, a sua cozinha, a sua música, a sua literatura, a sua fiesta nacional. Amanhã à noite, encontrar-me-ão no Sadler´s Wells, elevado até um lugar mais nobre e mais sublime pela voz de Estrella Morente.

Acreditem em mim, señores, nada tenho de pessoal contra vós: o problema é que não podem pretender ter uma coisa e o seu contrário.


Enviado e Traduzido por Carlos Luna

sábado, 21 de março de 2009

Já a temos!!!




Não salva a má temporada que o Benfica está a fazer, não apaga a má imagens dos últimos jogos,a própria final foi um jogo feio mas... O QUE INTERESSA É QUE A TAÇA DA LIGA É NOSSA!!! Viva o Benfica!!!

Até quando?...

Até quando continuará o Derlei a dar literalmente porrada aos atletas do Benfica?!?! Isto é futebol ou wrestling??? Lucílio abre os olhos pá!!!

Primavera


Chegou hoje a Primavera, esperemos que com ela, além do bom tempo e de bonitas paisagens, chegue também maior alegria para os portugueses...

Final da Taça da Liga

Irra, será depois de tudo o que Derlei já fez neste jogo não há quem lhe mostre vermelho?!?! Lucílio andas a fazer o que no jogo?!?!

sexta-feira, 20 de março de 2009

Vila Viçosa - Espiunca














Aqui ficam algumas imagens de Vila Viçosa (Espiunca), do nevão lá ocorrido no passado 9 de Janeiro. Certamente esta aldeia, terá que ser uma terra a visitar!
Com a cortesia de Carlos Oliveira, do Vila Viçosa - Paraíso do Vale do Paiva

Por Castelo branco...


Festeja-se hoje por Castelo Branco o 238º aniversário da sua elevação a cidade. Sendo Calipolense, mas assumindo-me também como Albicastrense por afinidade, ficam aqui os votos de que a cidade mantenha se continue a desenvolver como até e que os Albicastrense se unam mais em torno da sua, da nossa cidade!

quinta-feira, 19 de março de 2009

Para Ti Pai!

Hoje mais que todos os dias, adoro-te pai!

Orgulho Calipolense, Orgulho Nacional!...


Faz hoje 405 anos que nasceu o mais dos ilustres Calipolenses, D. João IV, O Restaurador da Independência, nascido em Vila Viçosa a 19 de Março de 1604. Veja aqui a sua biografia na Wikipédia.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Estudantina Académica de Castelo Branco


Tive a felicidade de em Novembro de 2002 ajudar a fundar a G.A.I.T.A. dú Apiedêre, tuna masculina da Escola Superior de Educação de Castelo Branco. Tive a alegria de depois de ter abandonado a tuna, de a ter continuado a ver crescer a amadurecer, a organizar o seu festival, a lançar o seu CD ao vivo. Foi com confiança que assisti à sua transformação para Estudantina Académica de Castelo Branco com alunos de 5 das 6 escolas do Instituto Politécnico de Castelo Branco. E com a maior das felicidades que volvidos quase 6 anos e meio do já longícuo 14 de Novembro de 2002, vejo a Estudantina Académica de Castelo Branco tornar-se uma associação cultural, uma associação dos albicastrenses para os albicastrenses e a ganhar a organização este ano do 6º Encontro Nacional de Tunos de 16 a 18 de Outubro deste ano em Castelo Branco e com a organização do III FITUP em Castelo Branco em Novembro. Preve-se então um final de ano merecido para a tuna albicastrense que há quase duas semanas passeou o seu charme, alegria e qualidade pela Figueira da Foz.

Visitem o blogue da Estudantina Académica de Castelo Branco clicando em cima do logotipo da tuna e o blogue do 6º Encontro Nacional de Tunos no logotipo do encontro, estando também os links disponíveis na barra lateral.

E fica a questão para os tunos alentejanos e organizadores de encontros de tunas no Alentejo, não estaria na hora de convidarem a Estudantina Académica de Castelo Branco a vir actuar ao Alentejo e presentear os alentejanos com uma actuação inesquecível?!?!





terça-feira, 17 de março de 2009

Cancro

Ao António Feio, actualmente a lutar com um cancro no pâncreas, ficam aqui os meus singelos, mas sentidos votos de melhoras e muita força para aquele que é quanto a mim um dos melhores actores da sua geração juntamente com o José Pedro Gomes e que tantas gargalhadas já me arrancaram com a Conversa da Treta, Teatro da Treta, Filme da Treta e a Treta Continua... Força António!

Manuel Condenado vai tentar quarto mandato

O presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, Manuel Condenado, eleito pela CDU, vai recandidatar-se a um quarto mandato nas eleições autárquicas deste ano, disse hoje à agência Lusa fonte partidária.

Manuel João Condenado, 54 anos, professor do ensino básico e filiado no PCP, cumpriu, antes de ser presidente, dois mandatos como vereador naquele município e integrou a Assembleia Municipal de Vila Viçosa.

O actual presidente do município calipolense integra ainda o Conselho Directivo da Associação de Municípios do Distrito de Évora e a Comissão Política Concelhia de Vila Viçosa do PCP.

O cabeça de lista da CDU à Assembleia Municipal é o actual presidente daquele órgão autárquico, Manuel Talhinhas.

Manuel Alfredo Talhinhas, 62 anos, professor de geografia, aposentado, é presidente da Assembleia Municipal de Vila Viçosa desde 2002.

O PSD anunciou já que o sociólogo José Palma Rita, 44 anos, antigo delegado regional do Alentejo do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), é o candidato do partido à presidência do município local.

O executivo da Câmara Municipal de Vila Viçosa é composto por três eleitos da CDU e dois do PS.

No distrito de Évora, com 14 concelhos, o PS lidera sete autarquias (Évora, Portel, Reguengos de Monsaraz, Alandroal, Estremoz, Mourão e Borba).

Já a CDU tem seis (Arraiolos, Montemor-o-Novo, Vendas Novas, Mora, Viana do Alentejo e Vila Viçosa), enquanto que o município de Redondo é liderado por independentes.

O PSD não lidera qualquer Câmara Municipal no distrito de Évora.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Para os Calipolenses que estão na zona de Lisboa


Não havendo novo museu, não haverá transferência dos Coches de Vila Viçosa para Lisboa, portanto fica aqui o repto aos Calipolenses que habitem na zona de Lisboa e que possam naturalmente que marquem presença nesta concentração na Av. da Índia.
Gentilmente enviado via e-mail pelo blogue Cidadania LX

domingo, 15 de março de 2009

Mais uma Vila Viçosa

É verdade, no espaço de duas semanas consegui chegar ao conhecimento de mais duas localidades chamadas Vila Viçosa em Portugal. Se a primeira, fica pertinho do Rio Paiva e no concelho de Arouca, a segunda foi o viçosense (assim se chamam os habitantes de Vila Viçosa do concelho de Arouca) Carlos que me alertou para o facto de no concelho de Cinfães, distrito de Viseu, também existir uma localidade chamada Vila Viçosa nesse concelho. Ficou também a promessa de o Carlos me obter algumas fotos dessa localidade. Entretanto, irei também tentar obter mais informações sobre ambas Vila Viçosa. A quem quiser ajudar, serão sempre bem vindos!

Por terras do ducado...


Durante séculos, o nome de Vila Viçosa foi vinculado aos jardins, aos pomares, às árvores e às flores que assomavam pelos muros das casas do aglomerado urbano, como promessa do vergel que crescia dentro. É precisamente essa imagem florida de Vila Viçosa, com belos jardins, com ruas ornadas de flores e com os adornos florais nas janelas e portas, que muitos autores e poetas cantaram, que se deve preservar e recuperar, enquanto instrumento fundamental da compreensão e do reforço da preservação da identidade cultural calipolense. Para isso, a Câmara Municipal de Vila Viçosa, à semelhança, aliás, do que aconteceu o ano transacto, está a organizar o Concurso “Vila Viçosa Florida” 2009. Os objectivos centrais deste projecto consistem em embelezar com flores as ruas, as portas, janelas, varandas e sacadas dos prédios, assim como reabilitar uma importante memória colectiva e um suporte do seu quadro de referências e de valores, numa terra que foi sempre conhecido pela beleza e pelos seus espaços verdes.
O Concurso reveste duas modalidades: Prédio mais florido e Rua mais florida.

As inscrições são gratuitas e a Câmara Municipal cede aos interessados conjuntos compostos por vaso, suporte metálico, terra e plantas. As inscrições deverão ser formalizadas na Divisão de Ambiente e Serviços Urbanos da Câmara Municipal de Vila Viçosa, entre 2 de Fevereiro e 13 de Março, onde os interessados poderão obter quaisquer esclarecimentos.
Prémio de pintura Henrique Pousão
A Câmara Municipal de Vila Viçosa deliberou aprovar a edição de 2009 do Prémio de Pintura Henrique Pousão, ilustre pintor calipolense e proeminente figura da arte e da cultura do século XIX, no ano que assinala os 150 anos do nascimento do pintor. O Prémio foi instituído com o objectivo de estimular os artistas locais e regionais e a actividade cultural na área da pintura.
O Prémio Henrique Pousão tem um valor de 2.500 € e contempla total liberdade temática, admitindo-se todas as tendências e correntes estéticas, desde que se enquadrem na disciplina de pintura. A entrega das obras concorrentes deverá ser feita na Divisão de Serviços Sócio-Culturais da Câmara Municipal de Vila Viçosa até ao dia 30 de Setembro do corrente ano.
A cerimónia pública da entrega terá lugar durante o mês de Novembro, em data a anunciar.
Encontro de Poetas Populares
Vila Viçosa vai ser palco, no dia 19 de Abril de 2009, do Encontro de Poetas Populares da Zona dos Mármores, cujos trabalhos revestirão a modalidade de décimas, sendo o mote inspirado em Florbela Espanca. O objectivo é o de permitir a partilha de experiências e rimas, contribuindo, assim, para a preservação desta singular vertente da cultura popular da nossa região. Na verdade, a poesia popular constitui uma expressão genuinamente popular que permite recuperar momentos inesquecíveis da nossa tradição e manifestar emoções que fazem parte do imaginário da sociedade alentejana.
A participação no Encontro é gratuita, mas sujeita a inscrição, que deve ser formalizada até ao próximo dia 13 de Março de 2009, para o seguinte endereço: Câmara Municipal de Vila Viçosa, Praça da República, 7160-207 Vila Viçosa.
O evento encontra-se, também, associado a uma série de iniciativas culturais. Assim, na tarde do dia 19 de Abril, será inaugurada, na sala do Cine-Teatro Florbela Espanca de Vila Viçosa, a exposição “Aldeia da Luz. Memória de um traslado”, da autoria do fotógrafo José Maria Ballester. A mostra estará patente até ao final de Abril. Nessa mesma tarde e no mesmo local, será inaugurado um painel artístico alusivo à poetisa Florbela Espanca.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Por Vila Viçosa!!!!

Já há mais de um ano que Lisboa tenta dar mais um estocada em Vila Viçosa para aumentar a sua desertificação, falta de valências e cultura com a megalómana e desnecessária construção do novo Museu Nacional dos Coches e com a intenção de retirar a colecção de Coches e Landaus do Paço Ducal de Vila Viçosa. São cerca de 80 exemplares do século XVII ao século XX que estão em exposição em Vila Viçosa desde 18 de Maio de 1984 numa parceria entre a Fundação da Casa de Bragança e o Museu Nacional dos Coches, sendo esta a maior e mais variada colecção da Europa.

Em defesa dos superiores interesses de Vila Viçosa, venho a título pessoal, associar-me à AJDJ e ao PSD Vila Viçosa e pedir a todos os Calipolenses, mas a todos mesmo, assim como a todos os que visitem este blogue e que gostem de Vila Viçosa, que assinem a petição abaixo assinalada para ajudar aos interesses de Vila Viçosa, da Zona dos Mármores e do Alentejo! A petição está aqui e irá estar em destaque nos próximos tempos aqui na Tasca Real!

Peço-vos também divulguem esta situação por todos os vossos contactos via e-mail!

Irresistível


Isto parece é o que os adeptos sportinguistas queriam fazer ao Paulo Bento...






As duas últimas com a cortesia do BnRB

terça-feira, 10 de março de 2009

Partido Socialista de Vila Viçosa em jantar convívio

Exmo(a). Sr(a).


No passado dia 13 de Fevereiro de 2009 a Comissão Política Concelhia aprovou os Cabeças de Lista aos vários Órgãos Autárquicos, de acordo com a alínea d), do artigo 41.º dos Estatutos do Partido Socialista, a saber:

Assembleia Municipal Geraldo Jesus Gazimba Simão

Câmara Municipal Luís Caldeirinha Roma

Junta de Freguesia de Conceição António Virgílio Gazimba Simão

Junta de Freguesia de S. Bartolomeu Maria Filomena Trindade Ramos

Junta de Freguesia de Bencatel Paulo Jorge das Mercês Serra

Junta de Freguesia de Ciladas Armando Mira dos Reis

Junta de Freguesia de Pardais António José Calado Peixoto

Nesta senda, temos a honra de convidar V. Exa., a participar no jantar convívio que se realizará no próximo dia 4 de Abril no quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila Viçosa com início às 19 h:30 m, reforçando assim o apoio a esta lista.

O preço será de:
- maiores de 12 anos € 12,50
- entre os 6 e os 12 anos € 6,00
- até aos 6 anos grátis;

A confirmação deverá ser efectuada até dia 27 de Março para os seguintes contactos:

Francisco Chagas: 966455188
Geraldo Gazimba Simão: 964439988
Ricardo Barros: 962471787

Certos de que nos irá conceder a honra da sua presença, rogamos que se faça acompanhar pelos seus familiares e amigos, como dizia o poeta e cantor José Afonso:

“Em terras/Em todas as fronteiras/Seja benvindo quem vier por bem/(…)/Trá-lo contigo também”

Contamos consigo para nos apoiar neste momento decisivo para o futuro do concelho!

De V.ª Exa.,

Atenciosamente

O Secretariado do Partido Socialista da Concelhia de Vila Viçosa


segunda-feira, 9 de março de 2009

Centro Cultural e Recreativo Vila Viçosa


FUNDADO EM 13 DE AGOSTO DE 1977, O CCR DE VILA VIÇOSA É, SEM DUVIDA, A COLECTIVIDADE MAIS REPRESENTATIVA DA FREGUESIA. DA ACTIVIDADE DESPORTIVA DESENVOLVIDA DURANTE QUASE DUAS DÉCADAS DESTACA-SE O FUTEBOL TENDO SIDO FILIADO NA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE AVEIRO, ONDE MILITOU VÁRIAS ÉPOCAS NA II e III DIVISÃO DISTRITAL. NA TEMPORADA DE 1979 / 1980 SAGROU-SE CAMPEÃO DISTRITAL DA AF DE AVEIRO DA III DIVISÃO - ZONA NORTE, TENDO DISPUTADO A FINAL COM O ATLÉTICO CLUBE DE FAMALICAO, CAMPEÃO DA ZONA SUL DA MESMA DIVISÃO. NA EPOCA SEGUINTE, E CONTRARIANDO OS PROGNÓSTICOS DOS MAIS CÉPTICOS, DEFRONTOU, PELA PRIMEIRA VEZ A NÍVEL OFICIAL, O FC DE AROUCA, QUE DESCERA À 2ª DIVISÃO, REGISTANDO-SE DOIS ENCONTROS HISTÓRICOS ENTRE AMBAS AS EQUIPAS DO CONCELHO. MAIS RECENTEMENTE, NA TEMPORADA DE 1994 / 1995 SAGROU-SE CAMPEÃO DISTRITAL DA III DIVISÃO - ZONA NORTE, TENDO DISCUTIDO A FINAL COM O BARCOUÇO - CAMPEÃO DA ZONA SUL DA MESMA SÉRIE. DA INTENSA ACTIVIDADE DE OUTRORA, DESTACAM-SE EM 1984, AS PROVAS DE MOTOCROSS E DE MOTOBOL ( PELA PRIMEIRA VEZ EM PORTUGAL ), JORNADAS DESPORTIVAS DE GRANDE SUCESSO E ADESÃO POPULAR QUE MERECERAM REPORTAGEM TELEVISIVA E UMA GRANDE COBERTURA DA IMPRENSA. FRUTO DE DISCORDIAS, CONFLITOS E DESAVENÇAS, SUSTENTADAS EM AUTORITARISMO BALOFO E CACIQUISMO CRÓNICO, ALIADO A UM OPORTUNISMO DE FACHADA E A UMA DEGRADAÇÃO FINANCEIRA QUE SE EVIDENCIOU COM AS OBRAS PROMOVIDAS AQUANDO DA SUBIDA À 1ª DIVISÃO DISTRITAL, ESTA ASSOCIAÇÃO ESTEVE SEM ACTIVIDADE E SEM ELENCO DIRECTIVO DURANTE VÁRIOS ANOS, TENDO SIDO RECENTEMENTE REACTIVADA E CONSTITUÍDA NOVA DIRECÇÃO A PARTIR DO ANO DE 2007.
Com o agradecimento e a devida vénia ao Carlos copiado daqui.

Baile da Pinha em Redondo


Para quem quiser voltar aos bons velhos tempos, em Redondo no dia 14 pelas 15:00h na Sociedade Harmonia e Progresso Redondense.

domingo, 8 de março de 2009

Dia da Mulher


Para todas as mulheres, em especial para a minha mãe e para a minha esposa, que este dia seja vosso, como são vossos todos os restantes dias do ano!

terça-feira, 3 de março de 2009

Autarquicas 2009 - PS

Aí estão os cabeças-de-lista do PS para as Autarquicas 2009 para o concelho de Vila Viçosa, cuja listagem se reproduz na íntegra do exposto no blogue do PS de Vila Viçosa:

«Aos treze dias do mês de Fevereiro de dois mil e nove, pelas vinte e duas horas, na sede do Partido Socialista em Vila Viçosa, realizou-se uma reunião da Comissão Politica Concelhia, convocada pelo seu Presidente, Francisco Chagas, ao abrigo no n.º 1, do artigo 42.º, dos Estatutos do Partido Socialista, com a seguinte ordem de trabalhos:

1. Apreciação da situação Politica;
2. Candidaturas aos órgãos autárquicos – Eleições Autárquicas 2009 (alínea d), do artigo 41.º dos Estatutos do Partido Socialista);
3. Outros assuntos de interesse.

Ponto 2. Candidaturas aos órgãos autárquicos – Eleições Autárquicas 2009 (alínea d), do artigo 41.º dos Estatutos do Partido Socialista)

Pelo Secretariado foi apresentada a lista dos Candidatos pelo Partido Socialista ás Eleições Autárquicas de 2009, que se passa a descrever:

ASSEMBLEIA MUNICIPAL - Geraldo Jesus Gazimba Simão

CÂMARA MUNICIPAL - Luís Caldeirinha Roma

JUNTA DE FREGUESIA DE CONCEIÇÃO - António Virgílio Gazimba Simão

JUNTA DE FREGUESIA DE S. BARTOLOMEU - Maria Filomena Trindade Ramos

JUNTA DE FREGUESIA DE BENCATEL - Paulo Jorge das Mercês Serra

JUNTA DE FREGUESIA DE CILADAS - Armando Mira dos Reis

JUNTA DE FREGUESIA DE PARDAIS - António José Peixoto

Foram tecidas algumas considerações por todos os elementos presentes. Das considerações prestadas foram aceites os nomes propostos.

Esta acta vai ser assinada por todos os elementos presentes na Reunião.»

Qual o pior Presidente de Câmara do Distrito de Évora?

Terminou a votação para a eleição do pior Presidente de Câmara do Distrito de Évora promovida pelo Sexo dos Anjos.

Assim sendo, Manuel Condenado, Presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa foi eleito o pior Presidente de Câmara do Distrito de Évora com 48%, tendo José Ernesto de Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Évora ficado em segundo lugar com 22% e no último lugar do pódio ficou José Figueira, Presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas com 10% dos votos.

A questão que aqui fica é, será que a votação exprime a opinião dos Calipolenses, o também dos restantes cidadãos do Distrito de Évora que têm visto Vila Viçosa a ficar cada vez mais trás em relação aos outros concelhos do nosso distrito?!?!

domingo, 1 de março de 2009

Outra Vila Viçosa?!?!

Estava eu a fazer pesquisas sobre Vila Viçosa e à procura de outros blogues de e sobre Vila Viçosa quando me deparei com o blogue Vila Viçosa - Paraíso do Vale do Paiva. Estranhamente surpreendido, decidi ir ver o blogue e se de facto existe outra Vila Viçosa. E de facto, existe um lugar de seu nome Vila Viçosa, sede da freguesia de Espiunca, no concelho de Arouca, no norte do distrito de Aveiro.
Fiquei que... digamos surpreendido por esta novidade, pois localidade de nome parecido com o de Vila Viçosa, apenas conhecia Aldeia Viçosa no concelho e distrito da Guarda... O blogue já está linkado na vossa direita, fica em seguida uma breve resenha histórica de Vila Viçosa e da freguesia de Espiunca...
Deixo também aqui a sugestão, e irei tentar fazer chegar a sugestão às Câmaras Municipais de Vila Viçosa e de Arouca, às Assembleias Municipais de Vila Viçosa e Arouca e às Juntas de Freguesia de Conceição, São Bartolomeu e Espiunca, para que aconteça uma geminação entre ambas "Vilas Viçosas", que penso ser de todo o interesse, depois das geminações as espanholas "Villaviciosas"... Irei também tentar entrar em contacto com o autor do blogue Vila Viçosa - Paraíso do Vale de Paiva para tentar saber algo mais sobre Vila Viçosa.

«O nome de Espiunca é derivado de Spelunca, que significa cova ou gruta, nome apropriado ao local onde está localizada a sua Igreja Matriz. A freguesia é atravessada pelo Rio Paiva, ficando na margem direita o lugar de Cornes que, por volta de 1890, passou a chamar-se Vila Viçosa.
Os moradores do lugar de Cornes, por considerarem esse nome pejorativo, manifestara, durante muito tempo, o desejo de mudar o nome da terra para Vila Viçosa, pretensão que mais tarde veio a ser aceite oficialmente.
Por volta de 1890 foram reorganizadas as matrizes prediais, tendo sido encarregado desse serviço, neste lugar, o amanuense da Fazenda Pública, Ernesto Pinto Ferreira, mais tarde escrivão – notário, para mudar o nome do lugar nos livros das respectivas matrizes para Vila Viçosa e assim se ficou a chamar, de forma definitiva, a Vilia de Cornias, que o rei conquistador havia de doar a Afonso Pelaiz.
Conforme referia o ilustre investigador arouquense Simões Junior, in “ Arouca – subsídios para a sua monografia “, o lugar de Vila Viçosa, que pelo Cadastro da População do Reino, de 1527, pertencia à freguesia de Souselo, do concelho de Sanfins, extinto em 24 de Outubro de 1855, passou para a freguesia de Espiunca que, por sua vez, tendo pertencido ao vizinho concelho de Paiva e comarca de Barcelos, por volta de 1750 foi anexada ao concelho de Alvarenga.
Pelo Censo de 1527, o lugar de Vila Viçosa tinha 12 fogos e 48 moradores e a freguesia de Espiunca 17 fogos e 68 moradores, passando em 1767, a ter 300 moradores e, em 1950 a ter 197 fogos e com mais de 800 habitantes.
Sabe-se que, D. Afonso Henriques, 1º Rei de Portugal, deu a 24 de Abril de 1139, a Afonso Pelaiz e sua mulher Maria Afonso, um Reguengo na “ Vilia de Cornias “ - ( Vila Viçosa ), conforme prova Carta de Doação, que o ilustre arouquense reproduziu na sua monografia.
No lugar da Espiunca, sede da freguesia, consta-se que terá existido um Mosteiro que acolhia um grupo de freiras, que em 1189 tinha por Prioresa Elvira Mendes, que deu uma herdade a João Guilherme e seu sobrinho Martinho Pedro que, pela morte de ambos, ficava livre do encargo da Condutaria, termo que significava todas as iguarias que se comem com o pão, normalmente chamado de conduto.
Não se sabe quando foi fundado este Mosteiro, e muito menos por quem, mas a sua existência é afirmada por Caetano do Amaral, na sua Memória V; João Pedro Ribeiro transcreve o documento da doação e Gama Barros localiza-a no ano de 1199.
A Igreja de S. Martinho da Espiunca incendiou-se em 1794 e tendo sido visitada em 7 de Maio do mesmo ano, pelo Bispo Píncio, este ordenou que os monjes beneditinos, seus padroeiros, a restaurassem, como era sua obrigação; em 30 de Abril de 1800 foi novamente visitada, desta vez pelo representante do Bispo, o Reitor de Santo Erício, que verificando que os beneditinos não tinham feito coisa alguma, "lamentou o que se passava, ordenando uma finta voluntária para a reedificação da Igreja", que se concretizou em 1806, mas a sua má construção levou-a rapidamente à ruína pelo que, por volta de 1945, o então pároco local, Padre Adriano Moreira, se viu na necessidade de construir uma nova.
Na época dos forais novos, a freguesia de Espiunca pertencia ao concelho de Paiva e no foral deste concelho, dado por El Rei D. Manuel no primeiro de Dezembro de 1513, estão já referenciados os seus direitos e obrigações.
Manuel de Castro Pinto Bravo, na sua monografia sobre o extinto concelho de Sanfins, também relatava o curioso “ costume seguinte “, entretanto desaparecido : quando outrora, não existindo cemitério na dita povoação de Cornes, da freguesia de S. Martinho de Espiunca, que tem a sua Igreja e cemitério na margem esquerda do Rio Paiva, morria algum paroquiano, o préstito fúnebre acompanhava o finado até á beira do Rio Paiva, onde havia uma barca de passagem que se encarregava de levar o féretro à outra banda. Aí, depois de embarcado o defunto, dele se apartavam e despediam, lacrimosos, os seus parentes e amigos, sendo que o familiar mais dedicado atirava para o caixão mortuário a sua moeda de cobre, para que o barqueiro da Espiunca fizesse o fúnebre transporte do corpo que ia ser dado à sepultura e para que não ficasse a sua alma a vaguear pelas margens tumultuosas do Paiva.
Consta-se que, muitas vezes, os cadáveres tinham de ficar na margem direita do rio, por não se permitir a passagem do barco, devido às cheias ou correntes impetuosas que no Inverno acontecem, pelo que a melhor opção, para não acontecer esta situação desagradável, foi construir um pequeno cemitério em Vila Viçosa, mantendo-se todavia, o hábito de lançar, para a urna, uma moeda de cobre, vestígio da passagem do Acheronte, um uso depois abandonado.
Já o lugar de Vila Viçosa, conforme destacava o relato de Simões Júnior, tem uma capela dedicada a S. Pelágio e à sua festividade concorriam procissões das freguesias vizinhas de Nespereira, Fornelos, Moimenta e Travanca.
Em 1297, o Bispo de Lamego, D. Vasco, por uma provisão, autoriza o contrato seguinte entre o Reitor de S.Martinho de Espiunca e o Mosteiro de Pendurada ( hoje Alpendorada ) permitindo a celebração da missa em Vila Viçosa : “ Que o dito André Johanes en sa vida diga, ou faça dizer Missa no dito lugar de Córnias de três em três Domingos, e que lhys dê hy o manifesto e a comuniom; salvo ás festas, em que os ditos homeens devem ir à dita Iygreia a ouvir as missas e a manefestar e a comungar “, in Viterbo Eluc.voc Abadengo.
No livro “ Elementos para a história de Castelo de Paiva “, Margarida Pinho escreveu que, “ pela reforma administrativa de 1835, Paiva pertencia ao Julgado de Arouca – tendo sido nessa época que Espiunca passou do concelho de Paiva para o concelho de Arouca, talvez por se encontrar mais perto deste “.
A passagem de Espiunca para o concelho de Alvarenga muitos anos antes, mas em data que se ignora, não foi pacífica, pois vimos que em 1789 os Oficiais do concelho de Alvarenga, com os homens bons da governança, mandar prender o barqueiro de Espiunca por desobediência às suas ordens e também pela fama de explorador e se Espiunca ainda pertencesse a Paiva, a Câmara de Alvarenga não tinha jurisdição.
Pinto Madureira, no número 248 da antiga Gazeta de Arouca, escrevia sobre as Festas de S. Pelágio e do Senhor dos Enfermos, as mais emblemáticas da paróquia: “ S. Pelágio é também muito festejado com todo o esplendor todos os anos, concorrendo ali procissões das freguesias vizinhas numa grande devoção, mas ainda não vai longe o tempo em que a festa dos Senhor dos Enfermos era feita com bastante brilho e ate grandesa, mas mais tarde os habitantes de Macieira e de toda a freguesia de Fornelos, lembraram-se de colocar ali em Macieira, uma imagem do Senhor dos Enfermos com grande estrondo e arrojo, o que veio a roubar à romaria de Seravigões, a maior parte dos festeiros e dos devotos, já pela novidade, de que o povo sempre gostou, já pelo sítio da romaria que é muito superior, já pelas grossas ofertas que ali começaram a cair todos os anos. Ainda assim, a festa de Seravigões, modesta como é, e deve ser, tornou-se digna e muito religiosa “. »